Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.

Bolinho de Chuva Simples

Receita de Bolinho de Chuva simples, frito com açúcar e canela bem sequinho e muito gostoso.

Veja as diferentes versões desta receita

  • Total: 45min
    Preparação: 20min
    Cozimento: 20min
    Servir: 5min
  • 6 pessoas já marcaram como feita
  • Dificuldade: Fácil
  • Porções: 30

Ingredientes

  • 1 xícara (chá) de Leite Líquido NINHO® Forti+ Integral
  • 2 ovos
  • 2 xícaras (chá) de farinha de trigo
  • 1 colher (sopa) de fermento em pó
  • óleo para fritar
  • açúcar e canela em pó para polvilhar

Modo de preparo

Em um recipiente, misture o Leite NINHO com os ovos.

Adicione a farinha de trigo e o fermento em pó e misture bem até obter uma massa homogênea.

Em uma panela pequena aqueça o óleo.

Com o auxílio de 2 colheres, porcione pequenas quantidades de massa e despeje-as no óleo quente.

Deixe fritar até que os bolinhos estejam ligeiramente dourados.

Escorra-os em papel absorvente e passe-os no açúcar e canela em pó. Sirva a seguir.

Utensílios

  • Panela
Marcar como já feita

Maravilha!
Continue cozinhando com Receitas Nestlé! Esta receita foi adicionada à sua lista de receitas cozinhadas.

Dúvidas comuns sobre Bolinho de Chuva

  • Pode congelar a massa de Bolinho de Chuva?

    Não é possível congelar, pois a massa contém fermento, que perde o efeito em pouco tempo. Por se tratar de uma receita rápida e fácil, o melhor é fazê-la e comê-la na hora.

  • Pode fazer Bolinho de Chuva com água?

    Sim. Ao invés de usar leite, você pode trocar pela mesma quantidade de água. Isso altera um pouco o sabor apenas. Se preferir, faça com leite em pó diluído também na mesma medida e seguindo as orientações da embalagem.

  • Porque meu Bolinho de Chuva fica cru por dentro?

    Isso acontece geralmente quando você frita seus bolinhos em fogo muito alto. O correto é: assim que o óleo atingir a temperatura ideal, pode abaixar o fogo um pouco e, em seguida, comece a fritar. O bolinho de chuva precisa ficar dourado por fora e cozido por dentro. Espere até que os dois lados estejam dourados para tirar, pois se tirar antes do tempo certo, ele ficará cru. Se a panela for muito pequena, frite menos bolinhos por vez. É bom fazer em panela média.

  • Como deixar o Bolinho de Chuva bem sequinho?

    O ideal é não usar muito óleo. Uma panela média com 2-3 dedos de óleo já é suficiente para fritar, do contrário o Bolinho ficará “encharcado”. Frite em óleo na temperatura indicada (180º a 190º). DICA: você pode colocar 1 colher (sopa) de amido de milho na massa para ajudar a deixar o Bolinho de Chuva mais sequinho. Sempre depois de fritar, escorra bem o óleo com uma escumadeira e imediatamente coloque o bolinho sobre papel toalha para secar.

  • Bolinho de chuva combina com o quê?

    Um bom café da tarde, lanche das crianças ou um brunch bem sortido.

  • Qual é a origem do bolinho de chuva?

    A massa do bolinho de chuva é a mesma do sonho português, só que sem recheio. Mas o formato que conhecemos hoje teve origem na época do Brasil Colônia, quando mulheres escravizadas cozinhavam os bolinhos e os enrolavam em folhas de bananeira

Bolinho de arroz combina com...

Aquela cervejinha gelada no Happy Hour! Mas nem só como aperitivo vive o bolinho de arroz: ele também vai bem como lanche da tarde para a criançada, como um complemento para um almoço ou jantar, e até mesmo como parte integrante da lancheira de refeição no intervalo escolar, especialmente em sua versão assada no forno.

E o melhor é que a receita de mousse de maracujá pode ser feita até por quem não tem muitas habilidades na cozinha: basta procurar no armário os tradicionais leite condensado, creme de leite, gelatina em pó e o maracujá, e surpreender com o sabor dessa sobremesa.


Tudo sobre a receita de bolinho de arroz


Origem, história e curiosidades

O bolinho de arroz é uma comida deliciosa, fácil de fazer e econômica. Embora seja servida em bares e botecos como acompanhamento, também é uma receita presente em muitas casas por ser muito prática, já que sempre dá para aproveitar aquele arroz que sobrou do almoço para preparar esse amado bolinho. Mas, afinal, de onde ele surgiu?

No Japão?
É importante lembrar que existem vários tipos de bolinhos de arroz e várias origens para eles. O Japão, historicamente, tem como base de sua agricultura o cultivo de arroz e é de lá que vêm os primeiros relatos de bolinhos com base no arroz. O onigiri é o mais comum de ser visto na cultura pop, com uma folha de alga envolvendo-os e, geralmente, com algum recheio dentro, mas também há os mochis e os omusubi.

Há relatos de que esses bolinhos eram muito consumidos pelos samurais, pois era um alimento fácil de ser transportado e se mantinha íntegro mesmo após vários dias de viagem – uma solução prática para se alimentar bem antes de suas batalhas. No entanto, a receita brasileira, esta que você aprendeu aqui em Receitas Nestlé, tem outra origem, um pouco mais próxima das nossas terras.

Na Itália?
A segunda versão da história garante que o bolinho de arroz foi criado na Itália. Segundo os ítalo-brasileiros, o bolinho foi inspirado no arancino, um bolinho que tem como base o risoto italiano, tradicional da região da Sicília, no sul do país.

Os arancini (como são chamados no plural) são quase um equivalente à nossa coxinha, apreciados por boa parte dos italianos e vendidos em botecos como acompanhamento de bebidas – algo parecido com nosso próprio bolinho de arroz.

A origem do bolinho é incerta, mas estudiosos apontam que ele surgiu por conta da presença muçulmana na Sicília, já que foram eles os responsáveis pela introdução do arroz e do açafrão (dois ingredientes-base para a criação do bolinho) na culinária daquele local.

Mas e no Brasil?
No entanto, foi no Brasil que ele ganhou uma característica própria. Diferente do arancino, que utiliza um arroz diferente, típico de risoto, aqui os ingredientes para fazer um bolinho de arroz são diversos. É possível usar arroz branco, parboilizado ou integral; acrescentar farinha de aveia, grãos... A variedade é grande.

Também dá para fazer bolinho de arroz frito no óleo, ou na airfryer, ou assado no forno... No recheio, podemos colocar queijo, calabresa, salsinha, pimenta, batata, ervas, legumes e verduras – as combinações são infinitas e dependem muito do seu gosto e da sua criatividade.


Variações da receita

Já deu uma espiadinha na sua geladeira e viu o que poderia entrar em uma receita deliciosa de bolinho de arroz? Que tal começar por essas maravilhas que selecionamos para você?


Dicas especiais e complementares

Na hora de fritar, sempre coloque os bolinhos apenas quando o óleo estiver bem quente. Isso será a garantia de um bolinho de arroz bem crocante. Aliás, se você ainda não viu as nossas dicas de como fazer frituras sempre sequinhas, bora conferir agora!

Para modelar o seu bolinho, uma dica é usar duas colheres de sopa. Aqui você tem um passo a passo que preparamos para ajudar você a fazer o bolinho de arroz.

Bolinho de chuva combina com...

Aquele cafézinho gostoso num fim de tarde chuvoso ou uma caneca de chocolate quente!

Das crianças aos avós, o bolinho de chuva agrada a todos os paladares. Quando ele é bem douradinho, com o açúcar e canela polvilhado, crocante por fora e aerado por dentro, se torna o prato perfeito para um lanche da tarde, ou até mesmo para um café da manhã para começar o dia de maneira mais doce.


Tudo sobre a receita de Bolinho de Chuva


Origem, história e curiosidades

Bolinho de chuva é aquela sobremesa que nos remete à infância, especialmente pelas memórias de nossas avós preparando essa iguaria deliciosa na hora do lanche. Mas, afinal, qual é a origem do bolinho de chuva?

Na época do Brasil Colônia, o trigo era um artigo raro, pois era muito caro, então as receitas de pães e bolos costumavam levar mandioca ou cará (uma raiz semelhante ao inhame). A coisa só começou a mudar de figura com a vinda da Coroa Portuguesa para o Brasil, no início do século XIX, quando a farinha de trigo começou a se popularizar por aqui.

A massa é basicamente a mesma do sonho português. Essa história é contada por Luís Câmara Cascudo em seu livro “História da Alimentação no Brasil”. O folclorista conta que a receita original dos sonhos é similar, inclusive, com o açúcar refinado e a canela em pó por cima, mas, diferente do sonho, o bolinho de chuva não possui o creme de confeiteiro de recheio.

Assim como muitas das comidas populares da culinária brasileira, o bolinho de chuva foi criado por mãos negras. As mulheres escravizadas faziam os bolinhos e os enrolavam em folha de bananeira para preservar a temperatura. Seu sabor irresistível acabou conquistando a todos e hoje é uma receita muito popular, especialmente por conta dos ingredientes baratos e sempre à disposição na cozinha dos brasileiros.


Variações da receita

Dá para incluir outros ingredientes na massa, como banana, doce de leite e até erva-doce – mas o ideal é fazer recheios com esses ingredientes à parte e, só então, colocá-los no bolinho de chuva já pronto.

No site de Receitas Nestlé, você aprende a fazer várias versões do famoso bolinho de chuva. Anota aí!


Dicas especiais e complementares

O segredo de como fazer o bolinho de chuva perfeito é o equilíbrio. Não exceda a quantidade de farinha de trigo da massa, pois isso pode torná-la pesada e fazer perder sua principal característica: ser aerada, com bastante ar.

Caso ela ainda não esteja firme, vá adicionando aos poucos mais farinha de trigo, com muito cuidado. Se a massa ficar muito dura, acrescente leite até ela chegar no ponto ideal.

Outra dica é dosar a quantidade de fermento: o excesso pode deixar o bolinho de chuva muito gorduroso. Na confeitaria, proporções e equilíbrio são tudo!